© 2016 Criado Orgulhosamente por Your Commerce

Please reload

Posts Recentes

Vinho seco e vinho suave, qual a diferença?

July 18, 2019

1/5
Please reload

Posts Em Destaque

3 Tipos de Vinho e Suas Características: Entenda Como os Vinhos Finos São Classificados

 

Para melhor compreender o mundo dos vinhos finos, é fundamental dividi-los em grupos ou tipos, de acordo com suas características em comum.

De modo geral, todos os vinhos finos se encaixam dentro de 3 tipos básicos:

  1. Vinhos Tranquilos

  2. Vinhos Espumantes

  3. Vinhos Fortificados

Dentro de cada um dos tipos, ainda existem sub-tipos que veremos ao longo do texto.

Entender as particularidades de cada tipo de vinho nos permite escolher o vinho correto para determinada ocasião e harmonização.

Veja a seguir quais são os 3 tipos básicos de vinho e suas características.

 

1) VINHOS TRANQUILOS

Os vinho tranquilos são todos aqueles que não recebem adição de álcool vínico, isto é, não fortificados, e que não possuem gás de dióxido de carbono, ou seja, não fazem espuma. Logo, a maioria dos vinhos que conhecemos estão inseridos nesta categoria.

 

Dentro da categoria de vinhos tranquilos estão os:

 

Vinhos Brancos

Elaborados a partir do suco de uvas brancas ou tintas onde foram removidas as cascas antes de iniciar o processo de fermentação. Vinhos brancos são característicos pelo seu perfume, leveza e frescor, sendo ótimos companheiros para os pratos mais leves, como saladas, carnes brancas, peixes e demais frutos do mar.

 

Vinhos Rosés

Elaborados a partir do suco de uvas tintas que ficaram menos tempo em contato com as cascas durante o processo de fermentação. São apreciados pelo seu frescor e acidez e casam muito bem com pratos leves, entretanto, também estão aptos a acompanhar pratos de maior estrutura.

 

Vinhos Tintos

Elaborados a partir do suco de uvas tintas que ficaram em contato com as cascas durante o processo de fermentação. Muitos são amadurecidos em barris de carvalho, onde ganham corpo, novos sabores e maior potencial de envelhecimento. Acompanham muito bem refeições mais gordas e robustas, principalmente à base de carnes vermelhas.

 

Vinhos Doces e de Sobremesa

Podem ser elaborados a partir do suco de uvas brancas ou tintas supermaduras, isto é, deixadas no pé por mais tempo que o necessário, para que atinjam um nível elevado de açúcar e, consequentemente, maior teor alcoólico.

Exemplos: Late Harvest e Ice Wine.

 

Vinhos Laranjas

Ainda pouco produzidos e conhecidos, os vinhos laranjas são elaborados através do suco de uvas brancas, que ficam em contato com as cascas por um longo período, adquirindo cor e textura. Cachos inteiros das uvas são introduzidos nos kvevris – ânforas ovais de terracota – revestidas internamente com cera de abelha e que são armazenadas abaixo do solo para que atinjam temperaturas mais baixas.

 

2) VINHOS ESPUMANTES

São todos os vinhos que possuem uma quantidade significativa de gás de dióxido de carbono.

Dentro da categoria de vinhos espumantes estão os:

 

Vinhos Espumantes (Charmat ou Tradicional)

Produzidos a partir do suco de uvas brancas ou tintas, os vinhos espumantes são aqueles que sofrem 2 fermentações. A primeira, alcoólica, que transforma o suco da uva em vinho e a segunda que dá origem às borbulhas e espuma.

Podem ser elaborados através do Método Charmat, onde a segunda fermentação ocorre em grandes tanques de aço inox ou pelo Método Tradicional, com a segunda fermentação acontecendo dentro da própria garrafa.

Exemplos de vinhos espumantes: Champagne, Cava e Prosecco.

 

Vinhos Frisantes

Produzidos a partir do suco de uvas brancas ou tintas, no vinho frisante o gás de dióxido de carbono geralmente é obtido de maneira artificial – sendo introduzido ao vinho no momento em que acontece a fermentação alcoólica.

Por consequência das diferenças no método de produção, o vinho frisante sempre terá menos gás carbônico que o espumante, resultando em menor número de bolhas e espuma.

Exemplos de vinhos frisantes: Lambrusco e Spergolino.

 

3) VINHOS FORTIFICADOS

São todos os vinhos que recebem adição de álcool vínico, resultando em um teor alcoólico entre 15 e 22%.

O álcool extra adicionado, mata as leveduras interrompendo o processo de fermentação e mantendo na bebida o açúcar natural das uvas.

Exemplos de vinhos fortificados: Madeira, Jerez e Vinho do Porto.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags